sábado, maio 31, 2008

A Tristeza e o olho. Ou a tristeza do olho. Ou o olhar da tristeza.

Difícil lembrar de quando foi apresentado a ela.
Difícil saber quando foi que ficaram tão íntimos.
Ele estava lá, distraído, e de repente ela chegou. De uma vez só.
Ou talvez estivesse chegando aos pouquinhos e ele não percebeu.
Difícil lembrar quando ele conheceu essa tão sem-cerimônia, que hoje entra sem bater em seu peito e pensamentos. E fecha a porta de sua geladeira. Quanta intimidade!
E de tão espaçosa, se esparrama dentre dele.
E se esparrama e se esparrama. E aperta tudo o que está lá dentro.
Sem espaço para mais nada, de tão nervoso ele sua frio.
O olho chora.

5 comentários:

Na toca do coelho disse...

E as lágrimas são a tentativa de ir embora dali. De sair de mansinho sem ninguém perceber. Mas logo vem um suspiro profundo de quem pede o ar para voltar a viver.
E a tristeza olha de novo querendo abraçá-lo. E ele se inqueita. Mexa-se! antes q ela tome conta de tudo.
E vem uma mão no ombro. O faz olhar para trás. Se encontra o chamado na íris da esperança, espanta a tristeza. E ela segue sem rumo, procurando companhia.
A esperança consegue dar um choque na ausência extremada e anunciada pela companhia da tristeza.

E traz cor de novo ao mundo.
E tenta trazer ânimo ao coração daquele novo ser cativado.

Na toca do coelho disse...

*pede ao ar

Sussy Michelly disse...

Adoro a internet. Onde mais haveria uma troca assim?

Ah.... Vou vender espaço publicitário aqui no blog. Os leitores são de alto nível! hehehhehe

Na toca do coelho disse...

eheheheh
mas daí quero uma participação! O blog é bom. Fazer o q?


bjooo

Cris disse...

O que seria da alegria se não fosse a tristeza, né?

agora, mudando de assunto e te respondendo: tá mais pra "Maníacas". Ou "Paranóicas", hehehe! ou cotistas de cotidiano, sei lá...
Precisamos elaborar isso direito!

Bjoss!!!