terça-feira, junho 03, 2008

Quem não viu?

Nas primeiras vezes em que vi Olência, ela era uma estranha.
A vi de longe, com outras pessoas.
Parecia de outro mundo.
Depois vi Olência de perto.
Como era mais feia! Como cheirava mal! Como desviava os olhos!
Olência era horrível, mesmo. De assustar.
Ela descobriu onde eu morava.
Era uma inconveniente!
Aparecia nas horas mais impróprias.
Vi Olência ao acordar.
Vi Olência ao fim do dia.
Vi Olência com minha mãe.
Vi Olência com meu pai.
Vi Olência com meu irmão.
Acho que ela gostou da minha família.
Na verdade, Olência foi bem legal com ela.
Soube que com outras pessoas ela é bem cruel.
Hoje vi Olência me cegar o medo e a coragem.
Por mais que eu tranque a porta ou me mude, sei que Olência vem quando quiser.
Não posso com ela.
Ninguém pode.
Logo vi.

4 comentários:

Na toca do coelho disse...

Vi Olência ainda na infância, bem perto de mim. Não chegou a falar comigo, mas a vi.
E me disseram "se vc não tiver medo, ela não pode atingir vc."
Mas meus pequenos olhos pediam para não ver Olência. Nem de perto, nem de longe.

Sabe qndo vc é criança e conversa com Deus, pedindo algo e esperando resposta imediata? Foi assim. Mas cresci e entendi q essa resposta vem todo dia. E q a Olência não vem sem que alguém chame. Mesmo que não seja vc. Alguém a convidou para estar na sua casa, na sua rua. E dizem q ela tem uma grande família.

Passei a rezar por outra coisa. Pra q a Olência encontre a Paz.

Na toca do coelho disse...

bom trocar letras com vc. Aprendo pacas!


bjooo

Na toca do coelho disse...

Trocar letras com vc é bom PRA CARALHO! Fala sério!

heeheheheh

vc me gosta. eu te gosto. a gente se gosta. Fazer oq?! A gente não tem culpa de ser tão gente boa!

acontece a cada mil anos.

bjão

Cris disse...

Comentário curto e grosso: Texto massa pra carái!!!